São Luís (MA) -Sexta 22 de Setembro de 2017

INSTITUCIONAL

Utilidade Pública

Comunicação

Turismo em Foco

Expedição para subsidiar plano de manejo do Parcel de Manoel Luís

Imprimir PDF

alt

 

Criado desde junho de 1991, decease o Parque Estadual Marinho do Parcel de Manuel Luís (PEMPML), try em Cururupu, discount está sendo o foco de uma jornada científica de técnicos da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema). Um dos objetivos é subsidiar a elaboração do Plano de Manejo do Parque, o documento é uma exigência do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) e permite que sejam determinadas medidas para proteção da biodiversidade de forma integrada com a vida econômica e social das comunidades vizinhas.

A expedição teve início no último dia 30 como atividade comemorativa pelo Dia Mundial das Zonas Úmidas, celebrado no dia 2 deste mês. Os pesquisadores estão estudando aspectos ambientais e paisagísticos do Parque que integra a lista de 12 sítios ramsar existentes em território brasileiro. Os sítios ramsar recebem prioridade no acesso à cooperação técnica internacional, incluindo apoio financeiro, para desenvolvimento de projetos de proteção e uso sustentável dos recursos naturais.

“A Sema, com o intuito de cumprir com sua responsabilidade de gestora do PEMPML, vem assumindo o dever de zelar pela conservação da área, capacitando o seu quadro técnico com cursos de mergulho autônomo, para atuação em atividades científicas e de fiscalização ambiental no local, uma vez que se constitui num espaço essencialmente subaquático cuja maior vocação concorre para realização de atividades desta natureza, o que representa um grande avanço para o gerenciamento da unidade”, informou a superintendente de Biodiversidade e Áreas Protegidas da Sema, Janaína Gomes Dantas.

Sobre o PEMPL

Criado pelo Decreto Estadual N°11.902 de 11 de junho de 1991, o Parque Estadual Marinho do Parcel de Manuel Luís fica localizado a 86 km do Arquipélago de Maiaú e a 180 km da cidade de São Luís. Ele possui uma área de 45.237 hectare composta pelos bancos de Manuel Luís, do Álvaro e do Tarol. No Parcel de Manuel Luís encontram-se as únicas formações coralíneas com corais vivos identificadas na costa norte do país, sendo uma área de afloramentos rochosos que dão origem a um extenso banco de corais que favorecem a ocorrência de algas, cnidários e esponjas.

A região é um berçário de infinitas espécies marinhas, entre as quais peixes de interesse comercial como o dentão, a garoupa, a acaranha, o xaréu, a guaiúba, e outros, que utilizam o local como sítio de alimentação, desenvolvimento e reprodução. Criado com o objetivo de preservar a fauna e a flora marinhas, constitui-se em uma das mais relevante matrizes de espécies do Atlântico Sul, cuja importância ecológica enquanto ambiente recifal foi ratificada no ano 2000 quando foi reconhecido como sítio ramsar.